Temperamento

TEMPERAMENTO

(Lc 22:33-3; Jo 18:10; 2Tm 2:24)

alt 

Nestes versículos (Lc 22:33-3; Jo 18:10; 2Tm 2:24), podemos ver a reacção de um homem colérico e a exortação de Paulo a Timóteo, para ser moderado e manso, embora a mansidão possa representar uma virtude do fruto do Espírito, esta também revela melancolia.

Existem, se bem que podem haver outras classificações, quatro temperamentos:

 

1 – Colérico

2 – Sanguíneo

3 – Melancólico

4 – Fleumático

 

O temperamento é uma combinação de características congénitas que subconscientemente afectam o procedimento da pessoa envolvendo os genes recebidos dos antepassados. É a natureza do homem formada por factores hereditários e que se encontram profundamente enraizados na pessoa. São imutáveis e têm seus grandes valores.

 

O temperamento aliado  ao carácter forma a personalidade. O carácter é o adquirido e portanto é formado, e, sendo formado é mutável, apresenta uma resistência para controlar e dar equilíbrio à personalidade emocionalmente descontrolada pelo temperamento.

 

Encontramos na Bíblia alguns personagens como Pedro que antes de ter um boa formação de carácter, tinha um temperamento desenfreado e cometeu alguns erros. Posteriormente Pedro nasceu de novo e permitiu que seu carácter fosse restaurado para dar equilíbrio ao seu temperamento. Pedro continuou colérico como antes, muito determinado, enfrentando as autoridades porém, com um carácter moderado. O cristão têm duas formas de restaurar ou reformar o carácter, usando o intelecto, conhecendo e aplicando o conhecimento e por meio do Espírito Santo, produzindo o fruto do Espírito. Com estas virtudes trabalhamos com o temperamento independentemente do ser extrovertido ou introvertido.

 

Use o seu temperamento para edificar a sua vida, ajudando o próximo e louvando a Deus. Não seja vítima do seu temperamento com o sumo-sacerdote Eli que com excesso de paciência tornou-se num pai tolerante provocando nos seus filhos, a perversão e, portanto, filhos de Belial.

 

Pr. Milton Novais

Topo